Mês: dezembro 2013

Progresso pode ser sinônimo de regresso

Nota Postado em Atualizado em

Matéria 02 para o Blogdopadresena.wordpress.com

PROGRESSO PODE SER SINÔNIMO DE REGRESSO

Diante da euforia de certos grupos da sociedade santarena, com as novidades de projetos econômicos na região causa espanto. Preocupa o grau de insensibilidade para com  as vidas humanas da maioria dos 300 mil habitantes da cidade e seu  entorno. Mortes no trânsito, assassinatos, assaltos, presídio superlotado, hospitais engarrafados de pacientes sem os cuidados necessários, cidade sem água potável permanente, lixos amontoados nas ruas e o buraco de Santo André sem solução, isso e muito mais atesta a indiferença criminosa para com a vida humana e a mãe natureza.

Os sinais do progresso estão à vista. Tanto os poderes públicos (prefeito, vereadores, ministérios públicos, vereadores e deputados da região), como o empresariado manifestam entusiasmo com os projetos anunciados e em andamento. São novos portos graneleiros, novo shopping center, ampliação do porto das Docas, asfaltamento da rodovia federal, invasão de carretas e caminhões baús nas apertadas ruas da cidade e outras novidades chegando. O prefeito viaja a São Paulo cheio de vida para oferecer vantagens de sua cidade para instalação de uma fábrica de cimento. Ele não publicou quais as vantagens oferecidas, nem onde será  a tal fábrica, mas informações não oficiais, dizem que será no subúrbio da cidade, em área urbana.

E tem mais, os empresários da Zona Franca de Manaus ganharam direito de construir um galpão de armazenamento de produtos da ZF para serem embarcados de Santarém pela rodovia br. 163. Quais as vantagens oferecidas,  não se sabe, mas certamente tudo a troco de alguns empregos que serão gerados, talvez de carregadores e vigias.

Com financiamento generoso da Caixa Econômica, disparam vários conjuntos imobiliários para a classe média, já que para os sem teto pobres e usuários do bolsa família,  restam as casinhas de pombo do Minha Casa Minha Miséria. Como é que o dinheiro público pode ser utilizado para construir aquele conjunto de casas de pombo? Que famílias poderão morar alí dignamente?  Será que o gerente da Caixa Econômica teria coragem de se mudar para lá? E ainda para cúmulo da ironia instalaram em cada casinha daquelas, um painel solar, certamente para esquentar água, não bastasse  os 36 graus centígrados de cada dia na cidade.

Diante desse quadro de vida, que até parece exagero, se não fosse verdadeiro, poucos levantam sua voz para salvar a dignidade da população atropelada pelo progresso. Afinal, esse progresso é bom, ou é ruim para  a maioria da população? É um avanço social, uma melhoria da qualidade de vida desse povo? Poucos se preocupam com a devastação e crimes ambientais gerados pelo progresso da cidade. A área destruída pela imobiliária Buriti e as outras áreas devastadas para outras empresas imobiliárias continuam acontecendo impunes. Ainda há certos grupos que apoiam tais crimes achando que quem é contra não quer o bem da cidade.

Noutro dia, depois de várias mortes por acidente na rodovia br.163 que passa pelos bairros da Cambuquira, Matinha e Esperança, algumas autoridades foram ao bairro da Matinha, para acalmar os moradores, por causa das mortes do trânsito e prometeram construir uma passarela, como se aquilo fosse solução. Perguntadas sobre a construção de lombadas para diminuir a velocidade das carretas e outros carros que descem a serra em alta velocidade, desculparam que não podiam construir lombadas porque era uma rodovia federal. Veja só, as vidas humanas ameaçadas que se lixem, afinal é uma estrada federal, mesmo sem acostamento, sem calçadas para pedestres, pois o que importa são as 450 carretas de soja que chegarão em breve e terão pressa em desembarcar e voltar, afinal… tempo é dinheiro. Prometem construir passarelas, sem dizer quando, nem quantas. Entre os bairros do Cambuquira e Esperança seriam necessárias ao menos cinco passarelas, mesmo sacrificando as pessoas idosas  e cadeirantes que não subiriam as passarelas.

Diante desse caos urbano se pergunta ao sr. Prefeito, qual o plano de urbanização que está utilizando? Como está aplicando o plano diretor do município já aprovado no mandato passado? Também se pergunta aos vereadores, como é que os srs. E sras. estão se preocupando com esse caos provocado pelo progresso da cidade? O que vocês exigem do prefeito para aplicação das leis de urbanização? Do código de postura da cidade? Vocês aprovaram candidamente o tal NGO do interesse do prefeito, quanto aquilo vai custar aos cofres do município? Precisava de todos aqueles novos funcionários regiamente pagos?

Desenvolvimento urbano é uma coisa, implica qualidade de vida da maioria. Progresso é outra coisa e quando só beneficia uma minoria e leva ao caos da cidade é crime, mesmo que seja aprovado pelos poderes públicos.

Este quadro meio pessimista é um alerta às autoridades e à sociedade santarena, incluindo aqui as federações de associações de bairros, Igrejas. Ordem dos Advogados secção santarena e ao empresariado. Ou será que, em nome do progresso, aceitamos que em cinco anos Santarém esteja ao nível de Belém uma das dez cidades  mais violentas do planeta?

Anúncios

Primeira matéria anunciando o que pode vir no ano novo.

Postado em Atualizado em

Vandalismo destruiu 5.843 kms2 de floresta amazônica em 2013. Quantos mais serão em 2014?
Foi comovente o gesto da presidente Dilma em fazer uma visita in loco na zona destruída pelas enchentes no Estado do Espírito Santo. Ela chegou lá ficou horrorizada com a destruição provocada pelas chuvas, com vários mortos, centenas de casas destruídas e milhares de desabrigados. Imagine se ela tivesse a generosidade de fazer um vôo sobre vários estados da Amazônia para contemplar a destruição continuada na floresta. Será que ela se comoveria? choraria? mandaria a Força Nacional ocupar as áreas devastadas e prender os membros do crime organizado, que a ministra do meio ambiente diz serem os culpados?
Todo o esforço do governo federal para iludir os desavisados é como tentar tapar o sol com a peneira, como diz o ditado. O desmatamento  e a destruição da Amazônia vem acontecendo intensamente desde 2003, por causa do alto preço da soja no mercado internacional, do bom  preço dos minérios e das madeiras de lei. Diminuiu nos últimos 5 anos e o governo alardeia que está trabalhando para o desmatamento zero. No entanto, de julho 2012 a julho 2013 o Projeto de Monitoramento da Floresta Amazônica, o Prodes afirma que o satélite detectou que as áreas desmatadas neste período subiram 28%. Isto significa 5.843 quilômetros quadrados, equivalente a cerca de 6 mil campos de futebol de floresta derrubada
Para os que só pensam em faturar com o agro negócio e as empreiteiras das hidroelétricas, isso é apenas o preço que se paga pelo progresso e o crescimento da economia nacional. No Estado do Pará só estes destruíram 2.372 kms2 de floresta, para gado, extração de minérios, madeiras e hidroelétricas.
Com  a maior cara de pau a Ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira garante que esse aumento do desmatamento se deve ao crime organizado. Ela acusa grileiros e garimpeiros ilegais. Fecha os olhos para outro membro do crime organizado, ou melhor oficializado, o próprio governo a que ela serve como ministra. Afinal, cada projeto hidroelétrico causa imenso desmatamento na Amazônia, incluindo o período das construções e também as inundações de floresta para as barragens.
A própria dona Izabela Teixeira deve saber que a desafetação da Floresta Nacional da Amazônia, município de Itaituba, feita a canetada de Medida Provisória pela presidente Dilma, foi de 10 mil hectares. Isso além de mais cerca de 100 mil hectares em áreas de proteção permanente, feitos com a mesma canetada. Quem não sabia disso? Esta já é a previsão para os próximos anos, continuando o que já começaram em Teles Pires, Xingu, Santo Antonio do Jari, Juruena, entre outros.
De que adianta existirem IBAMA, ICMBIO, Ministério do Meio Ambiente, se os crimes são identificados por modernos satélites do PRODES, porém raros são os criminosos hoje no presídio? E se o próprio governo federal  patrocina o aumento de produção de agronegócio da soja , do gado, do dendê e do milho, com financiamentos a longo prazo e juros amigáveis? E se o próprio governo patrocina, através do BNDES as construções de dezenas de hidroelétricas na Amazônia?
A Ministra do Meio Ambiente faz de conta que está escandalizada com mais 5.843 kms2 de desmatamento em 12 meses. Promete mais rigor na fiscalização. Há! se fosse verdade! A presidenta se comove com as enchentes anormais no Estado do Espírito Santo, talvez ela tenha até chorado, deve ter decidido liberar recursos financeiros para ajudar os flagelados, o que seria louvável. Mas até hoje não se comoveu, nem derramou uma lágrima pelo contínuo desmatamento da Amazônia, que provavelmente esteja contribuindo para as enchentes anormais em todo o Brasil. Pelo contrário, hipocritamente manda enviados ao encontro internacional de mudanças climáticas, a COP 19 em Varsóvia e exige que os outros países façam sua parte pelo equilíbrio climático.
O mais triste desse desastre anunciado e executado, é que as populações da Amazônia se calam, os políticos tão hipócritas quanto sua presidente, fazem de conta que não é seu dever defender os 30 milhões de cidadãos da Amazônia, parte deles que lhes apoiaram os elegendo a cargos representativos; também a dita sociedade civil pouco se incomoda, sendo que alguns grupos pequenos que clamam, são desprezados como meros eco chatos. Mesmo assim resistem, como fazem os Munduruku no Tapajós, os movimentos sociais em Santarém, em Altamira e outros lugares. Resistem numa luta de Davi contra Golias, ou como Noé no tempo do dilúvio.
Segundo os cientistas mais responsáveis, hoje 17% da floresta Amazônica já foi desmatada, caso o ritmo continue como atualmente, se chegar a 23 % a destruição será irreversível e a Amazônia se tornará uma savana, sendo que as mais graves consequências serão, para além dos povos da região, para todo o planeta, como os sinais da enchente no Estado do Espírito Santo estão sendo emitidos. Ou se tem vergonha e age ou chorar o caldo derramado será tarde demais.

Novo Blog

Nota Postado em Atualizado em

Estou antecipando o novo ano 2014 nesta data pós natal para anunciar que vamos utilizar este blog para partilhar  notícias, preocupações com a vida da mãe terra, de nossos povos da Amazônia. Será um blog aberto a debates, contrapontos. Espero que você que encontra este anúncio registre em sua conta para participar dele. Os editoriais que escrevia e transmitia na Rádio Rural serão inseridos aqui. Antecipadamente desejo a você que lê este blog um ano 2014 com conquistas, persistência e resistência a todo tipo de agressão ao ser humano e à mãe natureza.  São os votos do autor do blog, o Edilberto Sena