Polícia protege ricos e acusa pobre de formadora de quadrilha

Nota Postado em Atualizado em

Editorial de 11.02.2014

Mais um escândalo de parcialidade autoritária na polícia de Santarém. Duas empresas especuladoras desmataram 187 hectares de mata nativa na área urbana, poluindo além disso,  violentamente o lago do Juá, afetando também o rio Tapajós.

Por outro lado duzentos pobres sem teto ocuparam 22 hectares de uma área improdutiva para construírem suas casas. Os dois empresários pretendem vender 20 mil lotes na área devastada, para um loteamento de classe média. Não se tem certeza até hoje, se a área tem título legítimo de propriedade e se os donos pagam os devidos impostos de todos os anos improdutivos.

Então entra no jogo o delegado e a polícia. Esta imediatamente foi à área ocupada  pelos sem teto, algemou a líder do movimento e a trouxe quase arrastada até a delegacia e entregou nas mãos do delegado. Este acusou a líder dos ocupantes, de esbulho possessório, de formação de quadrilha e desobediência à autoridade. Ameaçou  jogá-la no presídio do Cucurunã, caso não pagasse dentro de 4 horas, uma fiança de 2 mil e 300 reais.

Questionado pelo advogado da acusada se estava baseado em qual  lei para acusá-la de formadora de quadrilha. O delegado admitiu desconhecer a relação com a lei 288 que faz tal enquadramento, como também admitiu ter lavrado o esbulho possessório, sem conhecer os documentos comprobatórios da legitimidade dos acusadores  SISA/BURITI.

Com tal parcialidade e venalidade onde fica a justiça?  Por que uma pessoa que entra numa área improdutiva com a intenção de construir casas para seus companheiros morarem é ameaçada de ir ao presídio sob acusação  de formação de quadrilha, quando dois empresários há mais de um ano, tendo destruído 187 hectares de mata nativa, sem estudo de impactos ambientais, não são nem acusados de auto de infração, que os tornaria criminosos?

Quem cometeu mais grave crime na área urbana de Santarém? Por que o delegado chama uma pessoa de formadora de quadrilha e não acusa nada os dois que destruíram 187 hectares de mata nativa e destroem o lago do juá?  Onde está a justiça da polícia e do delegado? A líder do movimento sem teto foi liberada no último minuto do aviso,  após  suada coleta de 2 mil e 300 reais entre seus companheiros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.