É preciso ler os sinais do tempo presente

Postado em

Editorial RNA – 17,06.2016

É urgente se aprender a ler os sinais do tempo presente, tanto na natureza, como nos acontecimentos sociais e políticos. Afinal, a sociedade dita civil não tem direito de sentar na arquibancada e apenas olhar o triste e inconsequente espetáculo que hoje ocorre na Amazônia e no país todo. Muito mais grave será essa sociedade ficar indiferente, ou até estupidamente aplaudindo a tragédia em andamento, tendo como líder das desgraças um governo interino e ilegítimo.

Três  ministros já foram derrubados por acusações de crimes, outros estão na mira da justiça. O presidente como uma barata tonta, vê seu governo se esfacelar e se apresenta cinicamente na televisão como se tudo estivesse sob controle.

Na rica Amazônia os carcarás oportunistas avançam sobre a floresta e os rios em busca de mais lucros enquanto é tempo.. Querem menos leis e fiscalizações para poder invadir terras indígenas, onde há madeira de lei, minérios e campo para expansão do agronegócio. Atualmente são mais de cinco mil quilômetros quadrados de floresta derrubada nos últimos três anos. Os rios, ou estão envenenados pelo mercúrio e arsênico dos garimpos, como em Roraima e no tapajós, ou estão sendo violentados pelas barragens. Como em Rondônia e no rio Xingu.

Já o governo interino avança para satisfazer os industriais e o agro negócio, arrochando a vida dos trabalhadores e dos mais pobres. Corta recursos da educação e da saúde e garante facilidades aos empresários.

Essa é apenas uma simples leitura dos sinais do tempo presente na Amazônia e no Brasil. Se assim é e continua, não poderá a sociedade civil ficar lamentando e levando pau nas costas.  Está passando a hora de reagir. Sindicatos, Movimentos populares, Igrejas, pesadores, trabalhadores familiares, universitários, estudantes de ensino médio todos esses e essas que sofrem os impactos de um país desigual precisam reagir.

A democracia representativa não está mais funcionando. É hora de a democracia direta entrar em ação, ir às ruas, fazer pressão com greves, como estão fazendo os estudantes de São Paulo. Se a tragédia político econômico está em andamento é preciso salvar as populações de hoje e do futuro.

Aplauda se o lava jato, mas não se pode esperar apenas pela justiça legal. 34 milhões de moradores da Amazônia precisam ser salvos dessa tragédia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.