Mês: janeiro 2018

Dias de graça e desafio pela Amazônia

Postado em Atualizado em

ANÁLIS EDA SEMANA – NOSSA VOZ É NOSSA VIDA  – 21.01.2018

Nossa Amazônia vive duas semanas de graça, pelos dias que passaram e pelo desafio que haverá na quarta feira, quando a democracia já abalada, estará em cheque mate.

Na sexta feira passada  nós amazônidas tivemos um dia especial de graça. Foi um dia de unidade na fé e esperança. O Papa Francisco pisou em terras amazônicas, na cidade de Maldonado, no Peru, bem vizinho do Estado do Acre. Foi acolhido como grande irmão e como irmão, retribuiu o carinho de milhares de moradores da cidade e de centenas de outros lugrares, inclusive várias delegações de Rondônia, do Acre e da Amazônia brasileira.

Vale a pena reproduzir o que escreveu o jornalista Luiz Miguel Modino que esteve lá. Disse ele: ” Existem momentos que marcam um antes e um depois, que passam para a história. As palavras que o papa Francisco pronunciou hoje em Maldonado, a mais de três mil indígenas, vão ser uma referência na vida dos povos indígenas e da Igreja na Amazônia. Um papa que veio a Maldonado para visitar e escutar o grito da terra e dos mais pobres, para se solidarizar com os desafios de seus pobres e de sua Igreja. Veio sentir a gente que se sente orgulhosa do que é, sua lingua , culturas e tradições. Gente que se une, pois isolada se sente triste, porém ao se encontrar é uma alegria contagiante. Essa alegria dos pobres da Amazônia é motivo para reflexão de outros povos dominados pelo individualismo egoista.

Papa Francisco acompanha e sabe o que acontece  na Amazônia, que ele considera uma terra santa. Em Maldonado afirmou que nunca os povos amazônicos estiveram tão ameaçados em seus territórios como hoje. A Igreja que caminha na Amazônia foi desafiada pelo papa Francisco a vencer os medos e não deixar de defender os que mais sofrem, comprometendo-se a defender as culturas, inspirados pelo Evangelho.

Diante das autoridades peruanas, inclusive o presidente Kusinski, o papa disse algo que deve atingir também os políticos brasileiros. Disse ele: ” a destruição do meio ambiente não pode ser separada da degradação moral. É a maneira como estamos despojando a terra dos recursos naturais, sem os quais não é possível nenhuma forma de vida. É preciso estar atentos a outra forma de degradação ambiental, a corrupção”. Assim foi em maldonado anteontem.

Será que eu, você e outras pessoas sentimos para nós esse recado do papa Francisco em sua visita à nossa Amazônia? Francisco não é um político, nem professor, é sim um profeta de nossos tempos. O que ele falou em Mandonado anteontem, vale para os políticos, para os empresários, os prefeitos e governantes, mas vale também para bispos, padres e leigos cristãos de todas as igrejas.  Não podemos ficcar indiferentes, alienados diante da degradação das riquezas da mãe natureza. A disputa pelo território, degradando a terra para tirar lucros a qualquer modo, fazem parte de algum tipo de corrupção, condenada pelo papa.

Santarém, Belterra, Mojuí dos Campos, Curuá, Alenquer e outros municípios estão sofrendo os impactos de grandes projetos de portos graneleios, desmatamento e uso de agrotóxicos, especulação imobiliária, projetos hidroelétricos. Diante dessa realidade, o papa nos desafia a vencer os medos de arriscar pela defesa da vida, da justiça social, medos de denunciar a corrupção, as propinas também aqui na região. Eis porque a presença do papa Francisco na Pan Amazônia nestes dias é uma bênção e uma provocação à nossa fé cristã.

Ligada à questão da moralidade na vida social, de que falou o Papa, na próxima quarta feira, outro acontecimento muito sério estará presente, não mais no Peru, mas em Porto Alegre. O tribunal de segunda instância vai julgar o  ex presidente Lula, já condenado pelo juiz Sérgio Moro. No segundo julgamento estará em cheque mate a democracia. Sem se levar em conta se Luiz inácio Lula cometeu crime ou não, o que está em jogo é se há provas ou não, para ele ser julgado. Se for condenado sem provas, como foi anteriormente pelo juiz do lava jato, a justiça comete novo crime contra a democracia. Pois ninguém pode ser condenado sem provas do crime. Daí que na próxima quarta feira o acontecimento de Porto alegre vai gerar muitos conflitos no país todo.

Nenhum de nós pode ficar indiferente, pois está em cheque mate a democracia. Afinal, você é pela democracia ou não? É importante acompanhar o que vai rolar no tribunal de Porto Alegre. Não temos que tomar partido por Lula ou contra Lula, mas sim, precisamos tomar partido pela democracia, defendendo um julgamento justo em si. Portanto acompanhe, seja pela internet, pelas redes sociais e parece que a Rádio Rural vai também transmitir alguns momentos.

Anúncios

Pan Amazônia capital dos cristãos por alguns dias

Postado em Atualizado em

Editorial – RNA – 16.01.2018

Hoje e até o final desta semana Amazônia e seus povos tem motivo para muita alegria e tomada de atitude em defesa da vida. O Papa Francisco estará  nestes dias bem dentro da Pan Amazônia, na cidade de Maldonado, Peru, bem vizinha do Estado do Acre. Sim, Papa Francisco não dorme de touca  lá no Vaticano. Aos 81 anos de idade anda pelo mundo acopanhando seu rebanho.

Que importância tem essa viagem de Francisco à Pan Amazônia nesta época? Ele não vem fazer turismo, nem apenas presidir santa missa. Ele vem dar força aos que  lutam em defesa da vida, aos ribeirinhos, os indígenas e aos moradores das periferias das cidades, hoje invadidas pelo agro negócio, pelas mineradoras e pelos vilentos projetos hidroelétricos.

Esta viagem de Francisco à Amazônia é também um grito de censura e alerta aos governantes, políticos, aos empresários e fazendeiros. Papa Francisco é a voz profética que clama por justiça para com os povos indígenas, com os pobres instrumentalizados pelos que buscam lucros a qualquer custo. Mas também sua viagem à Amazônia nestes dias, é um alerta para todos os cristãos e pessoas honesta e boa vontade. Não se pode calar e aceitar passivamente as imposições das várias ditaduras do lucro.

No caso específico do Brasil e nossa Amazônia, é preciso indignar-se e resistir. Um exemplo, cada semana sobem os preços dos combustíveis de maneira mais absurda e mentirosa. Então, uma forma de resistência é cada comprador de gasolina, ou diesel, exigir o cupon eletrônico do posto, antes de pagar  o pedido. Sabe-se que de cada litro de combustível no tanque, 25 por cento é imposto ao governo. Obrigado a extrair o cupon eletrônico forçará o dono do posto a desmentir o governo e forçará a Petrobrás a baixar o preço dos combustíveis.

Cuidar da floresta, defender os povos tradicionais inclui combater as mentiras e falta de ética  do sistema explorador. A viagem do papa Francisco à Amazônia, deve provocar alegria e de alerta a todos  os amazônidas. Bem vindo santo padre  profeta.

Que vem fazer o Papa Francisco na Amazônia?

Postado em Atualizado em

Análise da semana – Nossa Voz é Nossa Vida – 14.01.2018

Não esqueça algo muito importante, o Papa Francisco estará desde sexta feira próxima até domingo aqui bem próximo de nós. Vai ao Chile dar um apoio à luta do povo indígena … pelo seu direito de viver em paz em seu território. De lá vem a Maldonado, no Peru, bem vizinho de Brasileia no Acre. Ganhei direito de ir lá para fazer comunicação radiofônica para toda nossa Amazônia e Pan Amazônia. Mas, por causa de minha saúde e compromisso aqui com a Comissão Justiça e Paz, dei a vez para companheira Joelma Viana que via lá nos enviará notícias daquela bela visita e levará também o abraço de todos e todas lutadoras em defesa da vida aqui em nossas dioceses.

Mas mudando de assunto, imagine se o presidente da Coreia do Norte resolvesse explodir uma bomba Atômica que ele tem, em coma de Nova York, sabe que nós aqui no Oeste do Pará e bem ali em Belterra sofreríamos impactos terríveis.  Sabia disso?

Agora imagine as bombas atômicas que o governo ilegítimo detonou lá em Brasília, quantas desgraças estão recaindo sobre todos nós. Além da destruição das leis trabalhistas e da destruição da lei da Previdência social, agora a mais recente violência do Michel Temer. Nomeou uma Ministra do Trabalho, uma deputada que já foi condenada por violar a lei trabalhista. Que confiança se pode ter numa pessoa dessas? O juiz já impediu que ela assumisse o cargo mas o ilegítimo presidente insiste que não vai retirar a nomeação dela.  Vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal. Não surpreso se o STF aceitar a maracutaia. Sabe por que Michel Temer bate o pé e insiste em mais essa imoralidade? Porque a dita cuja é filha do presidente de um partido que tem 16 deputados federais e Michel Temer precisa daqueles votos de cabresto par aprovar a destruição da ei da Previdência.  Não é mais uma bomba atômica lançada sobre todos nós?

Agora sinta mais uma bomba explodia aqui mais perto de nós. Será que você ainda se lembra que em 2006 houve uma tal Moratória da soja. Promovida pela Multinacional CARGILL e suas colegas empresas exportadoras de soja? Pela tal moratória as empresas  exportadoras de soja se comprometiam não mais comprar soja de quem derrubasse mais mata dali em diante. Embora nossos movimentos populares não acreditassem naquelas promessas a moratória foi assinada e publicada na Brasil e na Europa. Os plantadores se impressionaram no primeiro momento já que os compradores juraram coa mão sobrea Bíblia que nunca mais comprariam soja de quem derrubasse mata.

Pois bem, sabe o que aconteceu? Nesses 12 anos desde o juramento da CARGIL, MAGGI, BUNGE e outras, a derrubada de floresta na Amazônia passou de um milhão de hectares, para 4.5 milhões de hectares de floresta e matas derrubadas. Quem afirma isso é justamente o atual Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho.

Nesse meio tempo, por exemplo, a CARGILL tomou conta de todo o Bosque a Vera Paz e construiu mais três armazéns. Acha que aquilo ali foi para gerar milhares de empregos? Acha que eles vão montar uma fábrica de óleo e margarina de soja? Uxalá fosse, mas vá lá e pergunte por que eles não constroem uma fábrica de esmagamento de soja em Santarém para  gerar produtos pra alimentar as populações da região. Espere a resposta. Mas não é só a CARGILL, pode ver a ânsia de outros exportadores de soja iludindo os pobres moradores dos bairros  da área Verde e demais para construir quaro portos graneleiros no outro lado da cidade. E assim, outros portos em Belterra, em Itaituba, tudo para ampliar a exportação de soja pra China, Índia, Europa.  Sabe por quê? Lembra que já foram derrubados 4 milhões  e 500 mil hectares de mata na Amazônia. Assim está aumentando a plantação de soja, daí os portos, as carretas, as balsas. Isso é ou não bombas atômicas? Nem precisa a bomba atômica da Coreia do Norte em Nova York.

Não acha que está na hora de nós todos unirmos esforços nos sindicatos, associações, Igrejas para defender nosso território, nossas vidas e da mãe natureza? Por que ficar conformado? Por que acreditar nas conversas de prefeitos e vereadores que defendem a destruição de matas para aumentar plantio de soja?  Ainda vale o ditado – quem morre caldo é sapo debaixo do pé do boi…

Com ele entre nós reforça a esperança

Postado em Atualizado em

Editorial RNA – 02.01.2018

Quase  todos os votos de ano novo expressam desejo de dias melhores. Pedem saúde, alegria e até compromisso com outro mundo possível. Desejos são desejos, mas a realidade da Amazônia não parece tão promissora. A disputa pelo território amazônico está muito desigual. O extrativismo predador, apoiado e financiado por um governo ilegítimo, está avançando impiedosamente, tratando os povos tradicionais como apenas obstáculos descartáveis.

Mesmo assim, algo de bom dá sinal de acontecer. Dentro de mais três semanas a Pan Amazônia estará recebendo a presença de um grande companheiro. Papa Francisco está chegando na cidade Maldonado, Peru bem vizinho de Cruzeiro do Sul no ACRE.

Nada mais promissor e abençoado do que esta visita do Papa Francisco à Amazônia. Ele é diferente de papas anteriores, pela sua ousadia e fidelidade ao compromisso com o projeto de Jesus Cristo. Não vem à Amazônia apenas para orar e celebrar missa. Vem também trazer a palavra profética em defesa da mãe natureza e dos direitos dos povos tradicionais da região.

Já a chegada dele em Maldonado será um grande apoio às lutas dos povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos, povos das periferias das cidades e vilas, além de grande apoio aos movimentos populares que lutam em defesa da vida na região. Porém o milagre maior será se Papa Francisco decidir esticar sua visita à região do rio Tapajós. Afinal ele foi convidado pela Rede Eclesial Pan Amazônia, REPAM e pessoalmente pelo bispo da Prelazia de Itaituba.. Uma visita dele, mesmo que por uma hora apenas será um grade reforço para nossa luta contra as 43 hidroelétricas projetadas  para a bacia do rio Tapajós. Sua palavra tem força planetária e para nós será um reforço extraordinário.

A vinda do Papa Francisco à Amazônia é a grande notícia do ano, se ele vier ao Tapajós será uma apoteose em nossa luta. Virá ou não? Deus sabe, e nós podemos solicitar a Deus esse milagre.