Uma outra Amazônia é possível

Postado em

Editorial RNA – 05.02.2018

Enquanto na Amazônia chove abundante e no Brasil chove corrupção e mentiras abundantes, vale a pena destacar dois eventos de ousadia e esperança em nossa região.

Na região do rio Tapajós, semana passada dois grupos de lutadores sociais deram sinais de que nem tudo está perdido. O primeiro grito por liberdade veio  da aldeia do índio, na periferia da cidade de Itaituba. A professora Alessandra Munduruku, valente guerreira, convocou um grupo de parentes para irem até a cidade de Rurópolis, 100 quilômetros  distante. Alí, vai acontecer nos próximos dias uma mentira do governo federal, uma farsa de audiência pública, para confirmar a construção de oito pequenas hidroelétricas  no rio Cupari, da margem direita do Tapajós. Tais projetos são mais violências à natureza e aos povos da região.

A Joana D`arc de Itaituba não se conforma, junta um grupo de parentes e vai interromper a farsa de audiência pública. Sua atitude motiva outros grupos de lutadores sociais de Santarém que irão a Rurópolis  fortalecer a resistência. Assim se constrói  outra Amazônia.

Outro momento de esperança, aconteceu  na margem esquerda do Tapajós, já no município de Santarém. Sábado passado houve uma assembleia dos moradores da comunidade Muratuba. O líder esclarecia seus companheiros sobre as ameaças que pairam sobre todos da área: geleiras, projetos hidroelétricos, incompetência do órgão federal responsável de proteger as comunidades da Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns. Dizia o líder aos presentes: Não podemos cruzar os braços e confiar em órgãos do governo. Precisamos agir organizados na defesa de nosso território. Os políticos só nos procuram em época de campanha eleitoral. Quem gosta de nós somos nós mesmos.

Certamente atitudes como essas, estão acontecendo nos outros estados da Amazônia. Só assim se espera que esse tempo imoral de corrupção tenha um fim. Já nas eleições de outubro os e as eleitoras da Amazônia saberão negar voto a todos os políticos que apoiam a ditadura Michel Temer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.