Incêndios, petróleo nas praias, que mais?

Postado em

Editorial RNA – 31.10.2019

Quem mora bem dentro da Amazônia e até quem mora nas cidades da região, talvez tenha dificuldade compreender o tamanho dos impactos provocados por mais este grande desastre causado pela derrama de petróleo nas praias de todo o nordeste brasileiro. Informações dão conta que praias de 200 comunidades de 88 municípios estão contaminadas. Já desse Paraíba até o sul da Bahia famílias de pescadores artesanais está sem poder trabalhar e as famílias estão passando fome. São 20 mil pescadores sem poder trabalhar, além de restaurantes estão parados por falta de peixe para servir aos turistas que desapareceram da região.

Enquanto a desgraça atinge moradores do Nordeste, o governo federal tenta escapar da responsabilidade de cuidar de identificar as causas e a reparação do acidente. Ministros tem inclusive tentado acusar a Venezuela e o Greenpeace como causadores do acidente. Pesquisadores da universidade de Alagoas já identificaram a área geográfica de onde está vindo a derrama de óleo. Inclusive levantam a hipótese de que o óleo está surgindo do fundo mar. Possivelmente por vazamento da extração de petróleo do Pre Sal.

Se nada for feito pelo governo para estancar a derrama de óleo no mar a contaminação poderá chegar nas praias do Rio de Janeiro e até em Portugal. Também a Amazônia poderá ser atingida, pois os ventos podem arrastar as ondas contaminadas á costa do Amapá e de lá pelo rio Amazonas. Vivemos num país desgovernado e as populações sofrem as consequências.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.