Outros

Como bem disse o mestre: “deem vocês mesmos de comer aos necessitados”

Postado em

Analise da semana Nossa Voz é Nossa Vida 02.08.2020

Bom dia Pe. Guilherme, bom dia ouvinte. Chegou o verão e com ele aumentou o calor. Mas pensando bem, não podemos responsabilizar só o verão por essa quentura, concorda: Cada roçado queimado, cada grande plantação e pasto queimado, cada mata derrubada, tudo isso faz aumentar o calor. O que podemos fazer; apenas xingar e deixar a coisa rolar: Diga uma coisa, se alguém encrenqueiro invadir seu terreno, tocando fogo, você vai ficar parado: Pois é, a Amazônia é nossa Casa comum, então não podemos ficar parados…

Alias, o Evangelho proclamado hoje em muitas celebrações, nos dá bem uma pista do que fazer. Diante da multidão com fome e os discípulos querendo cuidar só de si com os pães e dois peixes, Jesus, disse: Negativo, deem vocês mesmos de comer… O mestre não fica indiferente diante do sofrimento da multidão.

Interpretemos esse evangelho diante do que está acontecendo em nossos municípios. Daqui a três meses e meio acontecerão as eleições municipais em nossa região. Serão votados dezenas de candidatos a vereador e prefeito. Primeira questão a refletirmos: Na sua opinião, quantos vereadores são realmente necessários em seu município, para cumprirem dignamente suas tarefas, que são duas, Uma, buscar as necessidades coletivas mais urgentes para serem atendidas pelo prefeito e outra, fiscalizar as ações do prefeito, se estão atendendo as necessidades da população municipal.

Então, quantos você julga que bastam: em Monte alegre, por exemplo hoje são 15 vereadores, em Santarém são 21. São realmente necessários:  Como boa parte dos atuais vereadores sonham ser reeleitos, em Belterra, Mojui e demais municípios, então faça você um julgamento prévio, afinal você vai ajudar a eleger prefeito e vereadores: baseado no que eles conseguiram ou não, cumprir de sua missão nos últimos quatro anos, faça uma lista no papel e ponha de 0 a 10 cada um. Você pode avaliar assim: aqueles que receberam de você nota 10 merecem um louvor e vão pra casa, por terem cumprido bem sua missão, os que receberam sua nota baixa, devem ser riscados definitivamente da vida pública, porque não souberam cumprir sua missão. Por exemplo, vereador que durante quatro anos não reuniu com sua comunidade para escutar as necessidades coletivas, não merece nota boa, prefeito que só vem fazer alguma coisa pelo bem da sua comunidade agora na véspera de eleições, não merece nota boa. E assim, nas próximas eleições teremos uma câmara de vereadores e prefeito totalmente renovados.

Dessa forma, estaremos levando a sério a firmação de Jesus quando disse: deem vocês mesmo de comer, isto é, não esperem pelos outros, façam com que as necessidades de sua comunidade e do município sejam atendidas, pois para isso todos pagamos impostos. Concorda: Se sim, não faça como os discípulos no dia do milagre dos pães. Lembre o que nos diz o canto litúrgico: Tua palavra é luz no nosso caminho Senhor, tua palavra é luz no nosso caminho, também na hora da busca do bem comum na política.

No Amazonas tem trabalho escravo mas não apenas la…

Postado em

Notícia para Radio Riomar 26.07.2020

Bom dia Ítalo, Cintia e você ouvinte.

Ao iniciarmos nova semana convido você a refletir sobre um assunto bem urgente, mais ainda nestes tempos angustiantes. Direitos humanos em Manaus, na Amazônia e no planeta, o que está em jogo sobre isso? Primeiro vejamos se entendemos bem o que são os direitos sagrados de todos os seres humanos. Segundo a declaração universal, são 30 os direitos que devem ser respeitados por todos nós. Entre outros, o direito à vida desde o ventre da mãe até a idade mais avançada; direito a trabalho digno, `a moradia, `a saúde e assim por diante.

Aqui chega uma questão pra você: em Manaus todos esses direitos estão sendo respeitados? E na Amazônia quantos desses direitos estão sendo violentados? O Papa Francisco em boa hora defende que todo ser humano tem direito à terra, ‘a moradia e ao trabalho digno.

Agora deixa lhe contar um fato triste. Uma semana atrás, a Policia Federal, com auditores do Ministério do trabalho e mais funcionários do IBAMA e ICMBIO, libertaram 14 trabalhadores no interior da Boca do Acre, portanto aqui no Estado do Amazonas. Eles eram escravos de fazendeiro.  trabalhavam no meio da mata, vivendo em tapiris cobertos com lona, sem um mínimo de higiene e salubridade.  Não tinham carteira assinada, nem outros direitos trabalhistas. Isso se chama trabalho semelhante ao trabalho escravo, do tempo do Brasil da cabanagem.

Daí, retomo a pergunta, será que em Manaus tem gente trabalhando como escravo no comércio, na indústria e até em casa de famílias, como empregadas sem carteira e sem salário justo? E se tem, será que o Ministério do Trabalho deve intervir e libertar?

Congresso Nacional encontrou o tesouro do Reino do Céu

Postado em

Análise da semana Nossa Voz é nossa Vida 26.07.2020

Bom dia padre Guilhermo  e você ouvinte. No Evangelho de Mateus, Jesus em certo momento avisa que o Reino de Deus já está por ai, como um tesouro enterrado no campo. Importante é a gente procurar e segurar. Essa comparação chega bem a propósito de nossas vidas hoje. Há os que pensam entrar no reino do céu, seguindo leis e rituais, quando o tesouro está bem mais próximo da gente, que é quando fazemos justiça aos outros e somos solidários com os necessitados.

De repente, parece que os deputados e senadores procuraram o tesouro onde ele estava, no caso da aprovação do projeto de emenda constitucional sobre o Fundeb. Talvez muitos ouvintes não tenham clareza da importância desta mudança na constituição. Fundeb é o Fundo de manutenção e desenvolvimento da educação básica no Brasil. Com estes recursos do novo Fundeb, as escolas municipais e estaduais do planalto, várzea, das cidades pequenas e grandes, podem melhorar os salários dos servidores das escolas. A mudança no atual Fundeb, é que o novo a entrar em vigor em janeiro do próximo ano, vai atender a educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. E o valor de entrada de recurso, vai passar dos atuais R$ 3,700 mil reais em 2020, para aproximadamente R$ 5,700 mil reais por aluno/ano em 2026”. Cerca de 17 milhões de estudantes do ensino básico serão atendidos em melhores condições.

Segundo Gregório Grisa, pró-reitor de pesquisa do Rio Grande do Sul, “o objetivo do novo Fundeb é dar maior equidade ao financiamento da educação básica, garantir a valorização dos profissionais da educação, provendo melhor remuneração aos professores, e garantir recursos para manutenção e desenvolvimento do ensino.

 

Essa aprovação da emenda constitucional chega em boa hora, num país que dá mais importância ao politico e muito menos aos profissionais da educação. Basta comparar num município como Santarém, onde um vereador tem salário de mais de 10 mil reais, por poucas horas semanais de serviço e uma professora temporária de ensino fundamental no Tapara, trabalhando em dois turnos, ganha apenas cerca de 3 mil e 500 reais, isto de segunda a sexta feira.

 

Já uma professora concursada trabalhando em dois turnos, pode chegar ao máximo a 5 mil reais de salário. Por isso, a esperança é que a partir do pró ximo ano os e as profissionais da educação municipal e estadual se aproximem um pouco mais dos salários dos vereadores e secretários municipais.

 

Neste sentido, os políticos do Congresso nacional, localizaram o tesouro escondido. Agora se espera que eles consigam vender o que tem, para comprar de vez o tesouro do reino. Não se tem certeza disso, porque muitos ainda estão submissos a interesse particulares, como o presidente da república. Por este, o tesouro vai continuar enterrado.

 

Reflita também sobre esse outro fato:  Depois de manter dois ministros criminosos, uma na agricultura e outro no meio ambiente, depois de dizer que a corona vírus era apenas uma gripezinha, mandar comprar dois milhões de cápsulas de cloroquina, insistindo que seria para curar o vírus, quando toda a ciência garante que não faz efeito, o presidente Bolsonaro em pesquisa de opinião, está bem cotado para reeleição em 2022.

 

Como alguém pode eleger uma pessoa totalmente sem compromisso com a vida da Amazônia e dos brasileiros? é possível que muitos dos pobres que receberam o auxílio emergencial, acreditem que foi um presente do Bolsonaro. Puro engano, tanto é que ele já queria diminuir para apenas 200 reais. Será que você é tão trouxa que pensa votar num homem que está destruindo a saúde, educação, o SUS e o meio ambiente?

 

E ainda dizem que chegamos ao pico da pandemia, que pico?

Postado em

Notícia para Riomar – 19.07.2020

Bom dia Cintia, bom dia Ítalo e bom dia ouvinte manauara. Novo dia, nova semana e nós todos pelejando para sobreviver em meio a duas pandemias, coronovirus e nossa Amazônia violentada. Restando para nós e nossos irmãos amazônidas, pobreza, doenças e a destruição da mãe natureza, concorda?

Hoje vamos refletir sobre um assunto muito sensível para muitos pais, crianças, jovens e governantes A questão da volta as aulas presenciais. A Seduc planeja reabrir aulas presenciais no Estado e no município, em Manaus. Primeira questão para reflexão é, está na hora de as crianças e jovens voltarem as salas de aula? De um lado, seis meses sem aula é um prejuízo grande; além disso muitos pais já estão agoniados com seus filhos e filhas dentro de casa em isolamento social.

Por outro lado, a pandemia ainda não se foi. Mesmo as notícias dizendo que Manaus já passou do pico e que apenas uma pessoa foi a óbito na última semana, isso pode ser garantia de tranquilidade? O que pensam os educadores? Escute o que diz a direção do sindicato de educadores de Manaus: “Em Manaus sindicato propõe greve para frear reabertura das aulas. Solicitam intervenção dos MPF junto as autoridades estadual e municipal para adiar reinicio das aulas presenciais devido a pandemia. Os educadores recusam reiniciar aulas porque há insegurança da saúde dos estudantes e professores”. Então ouvinte você acha que os educadores estão certos ou errados, com essa resistência? Escute o que pensa a presidente do sindicato sobre o adiamento do reinicio das aulas? “A presidente do sindicato dos educadores Ana Cristina. Ela afirmou que “a preocupação maior é a segurança dos estudantes e educadores, pois o vírus Covid 19 tem alta capacidade de contaminação e ainda não foi descoberta uma vacina que garanta a imunidade dos presentes numa sala de aula”.

Se hoje, quem pensa reabrir escolas, mesmo com a pandemia ativa, está pondo em risco vidas de crianças e jovens, os pais e professores precisam preservar estas vidas, tendo a paciência de aguardar o próximo ano. Mais vale perder um ano de estudos, do que expor crianças e jovens ao risco da contaminação e coisa pior.

Essa pressa em retomar as aulas presenciais nas escolas não está só em Manaus. Também aqui em Santarém acontece semelhante conflito. As autoridades querem reabrir escolas, dando a impressão que não há mais perigo, mas os professores que sabem o risco de muitas crianças numa sala de aula, também se recusam a voltar as atividades normais. Eis mais um desafio para todos.

 

 

 

 

 

O trigo e o joio dentro da pandemia

Postado em

Analise da Semana Nossa Programa Voz é nossa vida Radio Rural 19.07.2020

Até quando vamos conviver com essa pandemia? Só Deus sabe, dizia meu vovô. Estudiosos do Pará garantem que a corona vírus vai nos perseguir até que se invente a vacina. Isto provavelmente será no próximo ano. Enquanto isso, Santarém continua sepultando vítimas do covid 19. A mais recente pesquisa de sexta feira, anota que no município de Santarém foram 5.486 infectados, estando internados 76 e 300 já morreram com o vírus. Não adianta nos iludirmos como se estivesse parando a pandemia, porque estão com as liberações de comercio, pois o caso continua muito sério. Infeliz de quem acredita que pode estar em restaurantes, bares e andar sem máscara. Só quem não tem amor à vida pode abusar.

Aqui podemos fazer uma reflexão, a partir do Evangelho lido nas celebrações de hoje. Ali Jesus compara a construção do Reino do céu, com um roçado plantado com trigo, mas infiltrado com joio pelo inimigo. Jesus conta que crescem no Reino, tanto o trigo, como o joio. Não pensemos que o joio hoje seja o covid19. Não! certamente que a pandemia ampliou a desigualdade social, multiplicou o número dos pobres e vulneráveis, por falta de trabalho e renda. Mas o joio é exatamente os que se aproveitam da situação para explorar mais ainda os pobres.

Olhemos antes o trigo que cresce nesse tempo difícil. São tantos os gestos de solidariedade manifestos por grupos humanitários e cristãos, os grupos que distribuem cestas básicas, os que ajudam as pessoas de rua abrigados no clube São Raimundo, as e os enfermeiros e médicas/os que se esforçam para salvar vidas nos hospitais e centros de saúde. Os que recebem essas solidariedades, certamente precisam saber que isto é o trigo florescendo

Por outro lado, o joio também está bem ativo, tirando proveito da desgraça de outros. Começando cm o governo federal. Enquanto garante milhões de reais para colheita do agronegócio, fica escasseando a mixaria do auxílio emergencial aos sem trabalho. Além disso, estimula invasão das terras indígenas e a grilagem de terras. Aqui na região, o joio se manifesta nos gestores públicos, que ficam divididos entre cuidar da saúde pública e atender interesses de empresários. Ficam num jogo de cobrar isolamento social, ao mesmo tempo autorizando abertura de restaurantes, bares e comércio. Um outro joio circulando em toda parte, é a possibilidade de abertura das escolas para aulas presenciais. Com tantas pessoas infectadas e outras mortas por causa da pandemia bem viva, como pensar em juntar crianças e adolescentes em salas de aula? Não se tem saída, como a pandemia ficará atuante até o final do ano pelo menos, é dolorido, mas os pais precisam compreender que mesmo atrasando um ano escolar é preferível isso, do que ver as crianças e adolescentes no risco de infecção e morte.

Quando Jesus contou parábola do joio e do trigo, certamente ele não concordava com o joio, mas ele preferia ter paciência para não prejudicar o plantio de trigo. Se hoje, quem pensa reabrir escolas, mesmo com a pandemia ativa, é um joio nocivo, os pais e professores precisam preservar o trigo, que são as crianças e os jovens, tendo a paciência de aguardar o próximo ano. Mais vale perder um ano de estudos, do que expor crianças e jovens ao risco da contaminação e perder a vida.

Vetos presidenciais eticamente injustos e desumanos

Postado em

Editorial RNA 15.07.2020

Bioma amazônico multiplamente violentado. Tanto a pandemia, matando mais de 5 mil pessoas; como a irresponsabilidade do governo federal assassino da floresta. As maiores vítimas são flora, fauna, ribeirinhos, pescadores, indígenas, moradores, agricultores familiares e moradores das periferias das cidades. O governo Bolsonaro insiste em manter dois ministros criminosos, a da agricultura, Tereza Cristina e Ricardo Salles, do meio ambiente. Ambos garantem a impunidade dos grileiros que invadem terras públicas e aceleram a destruição das leis ambientais para facilitar a vida dos invasores de terras e queimadas na floresta.

No mesmo caminho anti Amazônia o presidente Bolsonaro tentou decretar por medida provisória para impedir a proteção social da disseminação da corona vírus em territórios indígenas, medidas de apoio aos povos quilombolas, pescadores artesanais e comunidades tradicionais. O psicopata presidente queria deixar sem proteção os povos vulneráveis da Amazônia.

 

Felizmente duas atitudes frearam o absurdo. De um lado, deputados e senadores negaram aprovação à medida provisória e estão transformando num projeto de lei, menos criminoso. Também a Conferencia nacional dos bispos do Brasil, reagiu com uma carta protesto bastante firme. Na carta publica a direção da CNBB começou dizendo que “Com indignação e repudio a CNBB tomou conhecimento, no último dia 7 de julho, que a sanção do Exmo. Sr. Presidente da República ao PL 1142/2020, agora Lei nº 14.021, contém 16 vetos. Esses vetos são eticamente injustificáveis e desumanos, pois negam direitos e garantias fundamentais à vida dos povos tradicionais, como por exemplo o acesso a água potável e segura, que “é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto, é condição para o exercício dos outros direitos humanos”.  

 

A carta estende sua argumentação em defesa da vida e conclui  dizendo: “ Urge, portanto, uma posição forte, decisiva e definitiva em defesa da vida. Há meses os povos tradicionais enfrentam a pandemia com números crescentes de contaminados e mortes em seus territórios. Sendo assim, a CNBB vem respeitosamente solicitar, o mais breve possível, a realização de Sessão do Congresso Nacional para que todos os vetos ao PL 1142 derrubados.

 

Pandemia uma praga do Egito?

Postado em

Notícia para Red Pan amazônica 08.07.2020

Até parece praga do Egito a invadir os países amazônicos. Desde mês de marco até 3 de julho 477.589 pessoas foram infectadas pela corona vírus nos nove países panamazonicos. 14.972 foram óbitos. Brasil, que já foi campeão de futebol, campeão de exportação de minérios e agronegócio, tendo sido a sexta economia mais forte do planeta, hoje é campeão de atingidos pela pandemia. Até dia 7 de julho eram um milhão, 680 mil infectados e 66.741 mortos pelo vírus.

A Amazônia é uma das regiões mais prejudicadas por falta de equipamentos hospitalares, como falta de UTIs e respiradores, além de poucos médicos e enfermeiros para tantos casos. Todos os nove estados da região estão sofrendo a invasão da pandemia. Um retrato demonstrativo dessa realidade é o Estado do Amazonas. Apenas um município dos 62 que compõem o estado, não está com doentes do vírus. Até domingo passado eram 76.014 infectados em todo o Estado.

Manaus, única cidade do Amazonas tem bom sistema de Unidade de terapia intensiva já teve seu momento de colapso de atendimento, mas nesta semana considera que passou o pico da doença. Até o dia 30 d e junho houve 2.739 mortes no Estado do Amazonas, dos quais 1.747 morreram em Manaus, por causa da corona vírus.

Já aqui no Estado vizinho, Para os governantes anunciam que parou de crescer o número de infectados, porém, notícias não oficiais afirmam que  continua a crescer o número de atingidos não registrados oficialmente.  Enquanto que aqui em Santarém, entre as duas capitais, até terça feira passada, o número de infectados e mortos continua crescendo. Foram confirmadas 4.551 pessoas, dos quais 262 morreram. Santarém atende a 20 municípios vizinhos, possuir três hospitais públicos e três privados, mesmo assim há fila de pessoas com sintomas da doença, esperando vez para entrar nos hospitais.

O tragicômico desta realidade brasileira é o presidente Bolsonaro que finalmente está com infectados com corona vírus. Ele que fazia questão de dizer que não se é obrigado a usar mascara em público e que era apenas umas gripezinhas, agora está ele contaminado. Há quem diga que ele está criando mais uma notícia falsa preocupado com a mão da justiça se aproximando dele, por causa de vários crimes que ele e seus filhos cometeram. Os brasileiros não sabem o que será melhor para o país, ele morto, ou vivo.

 

ASSEMBLEIA MUNDIA PELA AMAZÔNIA

Postado em

Editorial RNA 09.07.2020

Finalmente aparece pequena luz no fim do túnel em defesa da Amazônia e do planeta. Afinal, tudo está interligado. Não dá mais para apenas alguns ativistas denunciarem as violações constantes sobre a mãe natureza. O governo Bolsonaro só ampliou o que vinha acontecendo em governos anteriores. Floresta destruída, rios poluídos, sobsolo esvaziado por mineradoras, além de criminosos projetos hidroelétricos. Com ministros da agricultura e meio ambiente irresponsáveis, a vida estava boa para os exploradores e cada vez mais agressiva ao planeta.

De repente surgiu um grupo de 38 empresas nacionais e estrangeiras apresentando uma carta contra o desmatamento na Amazônia.  O manifesto foi apresentado ao STF, ao MPF e ao Congresso nacional.  Curiosamente entre os que estão exigindo ação firme contra o desmatamento, se incluem a CARGILL, a VALE, os Bancos Bradesco e Itaú, grandes financiadores do agronegócio e mineração na Amazônia. Certamente suas preocupações não são humanitárias em defesa do planeta. Estão preocupados porque grandes compradores de carne de gado, minérios e soja na Europa, Canadá e outros países, estão decidindo parar de comprar produtos do Brasil por causa do desmatamento da Amazônia. Para as 38 empresas, pesa a perda de lucros.

Mas há males que trazem o bem. Nestes dias o Ministério Público Federal está exigindo do governo Bolsonaro, o afastamento definitivo do ministro Ricardo Salles do meio ambiente, um criminoso cínico. Ele que está sucateando órgãos de fiscalização ambiental e mais do que isso, facilitando invasão de grileiros em terras indígenas e também estimulando as queimadas na Amazônia.

Também a sociedade civil está organizando a primeira assembleia mundial pela Amazônia, a acontecer nos próximos dias 17 e 18, começando as 17 horas de Brasília via facebook e youtube. Os interessados em acompanhar esta importante assembleia mundial, que terá tradução em português pode se habilitar pela rede social. Se cuidamos da terra, a terra cuida de nós, diz a cantiga.

Para o Brasil, presidente vivo ou morto, o que sera melhor?

Postado em

Notícia para Red Pan amazônica 08.07.2020

Até parece praga do Egito a invadir os países amazônicos. Desde mês de marco até 3 de julho 477.589 pessoas foram infectadas pela corona vírus nos nove países panamazonicos. 14.972 foram óbitos. Brasil, que já foi campeão de futebol, campeão de exportação de minérios e agronegócio, tendo sido a sexta economia mais forte do planeta, hoje é campeão de atingidos pela pandemia. Até dia 7 de julho eram um milhão, 680 mil infectados e 66.741 mortos pelo vírus.

A Amazônia é uma das regiões mais prejudicadas por falta de equipamentos hospitalares, como falta de UTIs e respiradores, além de poucos médicos e enfermeiros para tantos casos. Todos os nove estados da região estão sofrendo a invasão da pandemia. Um retrato demonstrativo dessa realidade é o Estado do Amazonas. Apenas um município dos 62 que compõem o estado, não está com doentes do vírus. Até domingo passado eram 76.014 infectados em todo o Estado.

Manaus, única cidade do Amazonas tem bom sistema de Unidade de terapia intensiva já teve seu momento de colapso de atendimento, mas nesta semana considera que passou o pico da doença. Até o dia 30 d e junho houve 2.739 mortes no Estado do Amazonas, dos quais 1.747 morreram em Manaus, por causa da corona vírus.

Já aqui no Estado vizinho, Para os governantes anunciam que parou de crescer o número de infectados, porém, notícias não oficiais afirmam que  continua a crescer o número de atingidos não registrados oficialmente.  Enquanto que aqui em Santarém, entre as duas capitais, até terça feira passada, o número de infectados e mortos continua crescendo. Foram confirmadas 4.551 pessoas, dos quais 262 morreram. Santarém atende a 20 municípios vizinhos, possuir três hospitais públicos e três privados, mesmo assim há fila de pessoas com sintomas da doença, esperando vez para entrar nos hospitais.

O tragicômico desta realidade brasileira é o presidente Bolsonaro que finalmente está com infectados com corona vírus. Ele que fazia questão de dizer que não se é obrigado a usar mascara em público e que era apenas umas gripezinhas, agora está ele contaminado. Há quem diga que ele está criando mais uma notícia falsa preocupado com a mão da justiça se aproximando dele, por causa de vários crimes que ele e seus filhos cometeram. Os brasileiros não sabem o que será melhor para o país, ele morto, ou vivo.

 

Brasil governado por psicopata

Postado em

Editorial RNA 03.07.2020

Liberou geral, quem for fraco que se arrebente. Bolsonaro vetou parte da lei de disciplina de proteção da vida. Belém e Manaus podem ate estar sob controle da pandemia, como anunciam seus oficiais. Mas nos municípios da Amazônia não é o que os dados revelam. A pandemia da corona vírus está violenta. Basta uma amostra da realidade para desmentir o falso otimismo do sr. Bolsonaro.

Santarém no Pará, cidade com 300 mil habitantes e apoio de 20 outros municípios vizinhos, tem o seguinte panorama: No mês de maio foram 1.544 infectados e 83 mortos. Em junho foram 4.109 infectados e 236 mortos. Nos últimos dois dias o numero de infectados subiu para 4.171 e 242 mortos. Portanto em Santarém já neste início de mês foram 14 novos mortos.

Com um detalhe: estes são dados oficiais da secretaria de saúde municipal. Mas um grupo de pesquisa da sociedade civil constata que na realidade o número de infectados e mortos e duas vezes mais que o oficial. São os que ficam em casa e não tem como chegar aos hospitais e nem a UTI.

Portanto, essa e uma amostra do que está acontecendo em Roraima, Maranhão, Rondônia e demais estados da região.  Uma das causas pode ser a incompetência dos poderes públicos em investir em equipamentos hospitalares e rigor na disciplina de proteção da vida, ficam divididos entre a vida e os interesses empresariais. Outra causa é a própria indisciplina de muitas pessoas que abusam da liberdade. Só acreditam na violência do vírus quando morre um parente

Para completar a desgraça   nacional vem o psicopata Bolsonaro e veta uso obrigatório de máscara no comercio, em escolas e nas igrejas. Ele parece ficar satisfeito com o aumento de mortos, especialmente os idosos, pensando que com isso salva os recursos da Previdência social. E ainda tem parte da população que apoia o psicopata presidente.